06/03/2013 Comentário (0) corrida de aventura, review de equipamentos, trekking

Pau pra toda obra

DSC00594

Alguns equipamentos a gente só vai botar fé que funcionam, depois de precisar deles. Eu passei por uma experiência que me convenceu disso. Foi quando participei da corrida de aventura “Desafio Grande Sertão – 200 km”, em Cordisburgo, Minas Gerais. Me inscrevi na categoria dupla, fomos eu e Fred, e Luís da Ecogerais fez o nosso apoio.

Quando estávamos entrando no segundo trekking, às 23 horas, eu comecei a sentir uma dor na planta do pé, que me deixou bem preocupado. Fred seguia mais à frente, estava forte, e eu atrás, mancando e pensando sobre aquela dor. Nesse momento, me deparei com um animal, ele era grande e seus olhos brilhavam no escuro. Enquanto ele me observava, peguei um pedaço de pau para me defender, caso me sentisse ameaçado, mas não deu em nada e ele foi embora. O que ficou foi aquele pedaço de pau, e sem que eu percebesse ele se transformou em um apoio, uma bengala, ou porque não dizer um bastão de caminhada.

Impressionante minha alegria ao perceber que quanto mais forte eu batia o bastão no chão, menos sentia a dor no meu pé. O resultado? Ao amanhecer, ultrapassamos uma dupla que estava com 5 horas de vantagem em relação a nós. Fomos diretamente para o pódio, às 10h da manhã, conquistando o primeiro lugar. Quase guardei o cajado de recordação, mas fiz melhor, comprei um bastão da Azteq, que, vira e mexe, está comigo nas aventuras.

Clique aqui e confira como foi essa prova!

Ricardo Gamba
Atleta Radicore e colaborador