05/02/2013 Comentário (0) roubada

A aventura na cidade grande

Radicore

Quem disse que nossos “momentos adrenalina” só acontecem quando estamos na natureza, no meio do mato? Na selva de pedra, onde moramos, a explosão desse hormônio é ainda maior, só que a motivação é outra. E não é nada boa! Ultimamente tenho ouvido falar muito em ciclovias, ciclofaixas, reeducação no trânsito e coisas parecidas, e acho ótimo, pois muitas vezes estou no trânsito à bordo da minha magrela urbana e confesso que passo muitos perrengues. Dificilmente posso dividir a pista com motoristas, pois de um  modo geral eles não compreendem que “aquilo ali” no trânsito, ou seja, um ciclista, na verdade faz parte do tráfego e deve ser igualmente respeitado. Até porque antes de ser um ciclista, trata-se de um pai, ou mãe, filho, professora, empresário, dentista, enfim…  Eu pedalo no trânsito como forma alternativa e complementar dos meus treinos diários, e sei que minha qualidade de vida iria melhorar muito se houvesse mais tolerância e educação por parte de grande parcela motorizada no trânsito de Belo Horizonte. Para quem também é adepto da bicicleta vou dar algumas dicas: além de andar sempre de acordo com as regras, fique muito esperto, com um olho na pista e outro nos veículos, porque nós, ciclistas, somos vistos como marginais de capacete e roupinha esquisita.

Conheça alguns sites que tratam o assunto: Pra quem pedala, 1,5m, BH em Ciclo, Onde Pedalar, Até onde deu pra ir de bicicleta.

Ricardo Gamba
Atleta Radicore e colaborador
 
pedal 12 4
 
roubada2
 
trilha real3